Como começar uma conversa com sucesso

Como começar uma conversa com sucesso

    • Heyaa! Este post surgiu da vontade de ajudar a ultrapassar, com sucesso, inseguranças que de vez em quando assolam a mente de todos nós: “quero falar com outra pessoa e não sei como começar”!

O que esperar deste artigo:

    •  Porque ficamos nervosos?
    •  Como ultrapassar o nervosismo, com sucesso?
    • Por que devemos ultrapassar isto?

Junta-te a esta comunidade!

Follows

O Homem vive em comunicação. Comunicar é uma das nossas funções mais naturais. E no entanto, o que parece ser a coisa mais fácil do mundo torna-se, por vezes, um bicho-de-sete-cabeças. Principalmente para quem tem uma personalidade que penda mais para a introversão.
Mas razões e situações para nos vermos aflitos com uma coisa tão simples é o que não falta! Ora vejamos:

Porque ficamos nervosos?

Trocado por miúdos

Existem vários níveis, várias graduações de reacção nervosa. Desde a timidez, até à ansiedade social. Atenção que esta última pode condicionar muito uma pessoa, requerendo acompanhamento de profissionais de saúde mental. Abordarei situações mais leves, por haver soluções um pouco mais abrangentes. Mas reforço que a saúde mental é um assunto muito importante, por vezes relegado em favor da saúde física. Não a descuremos!

Podemos ficar nervosos pela consideração que temos do nosso interlocutor. Aquela crush, superiores hierárquicos no trabalho ou nos estudos, ídolos, ou até familiares que admiramos muito. Pode também ser uma questão de que tema queremos abordar: informações delicadas devido ao contexto ou admitir erros…

A dificuldade em interagir com outras pessoas não é um acontecimento recente. Contudo, fazermos muita da nossa interacção diária através dos nossos smartphones e computadores toma tempo antes investido em conversa presencial. Temos portanto alguma falta de treino.

Trocado por miúdos

Trocado por miúdos

Muitas das vezes é só aquela vergonha momentânea que passa logo depois do interlocutor se ir embora. Vou pintar o cenário: avista-se pessoa, pessoa desperta-nos interesse, queremos dizer algo e, de repente, bloqueamos, questionamos o sentido de todas as palavras que nos surgem – quando conseguimos que surja alguma – e a pessoa vai-se embora sem que tenhamos conseguido proferir o quer que seja. Logo a seguir, vem uma enxurrada de ideias de coisas “normais” para se dizer. Um pouco como l’espirit de l’escalier (o sentimento de nos lembrarmos da resposta perfeita a uma provocação apenas depois de nos irmos embora, de abandonarmos a conversa). Mas sem a parte da provocação, considerando só a nossa ação.

Considero que o elemento essencial nestes momentos somos nós. Até lembra a típica frase de fim de relação – “não és tu, sou eu”. Somos nós que conseguimos ultrapassar o “problema”. Como? Keep Reading 😉

Como ultrapassar o nervosismo, com sucesso?

Como ultrapassar o nervosismo, com sucesso?

Claro está que há muitas nuances, mas no geral, estas dicas podem ajudar a ultrapassar situações embaraçosas.

Não te leves demasiado a sério. É importante relembrarmo-nos de que, por muito evoluídos que sejamos, somos todos humanos. Nenhum de nós sabe todas as respostas para todas as questões que nos surgem. Por isso, não há uma fórmula perfeita de interacção com o outro, porque todos erramos. E o que funciona para certas pessoas, pode não funcionar para outras. Devemos encontrar consolo neste paradoxo. Todos falhamos, e por tentativa e erro chegamos ao sucesso.

As outras pessoas também passam pelo mesmo. Não é ao mesmo tempo, mas todos passamos por isto. Na primeira vez que temos de falar com alguém sem familiares ao lado; a primeira entrevista de emprego; a primeira vez que nos deixam sozinhos com uma criança que já fala. Temos de desmontar o medo, para o domar, e torna-lo algo comum é uma forma de facilitar a coisa.

As outras pessoas também passam pelo mesmo. Não é ao mesmo tempo, mas todos passamos por isto. Na primeira vez que temos de falar com alguém sem familiares ao lado; a primeira entrevista de emprego; a primeira vez que nos deixam sozinhos com uma criança que já fala. Temos de desmontar o medo, para o domar, e torna-lo algo comum é uma forma de facilitar a coisa.

É uma situação passageira. Voltarás à zona de conforto muito brevemente. É uma questão de enquadramento até te considerares confortável em todas as situações. O que neste momento é fonte de conflito, tornar-se-à terreno seguro se assim o pretenderes.

Dicas do caríssimo Charlie

Dicas do caríssimo Charlie

Charlie Houpert, fundador do canal de Youtube Charisma on Command, apresenta neste vídeo três dicas mais práticas de como começar uma conversa. Penso que seja mais direccionado para a primeira abordagem a uma pessoa aleatória. Em traços gerais: faz perguntas, ouve o outro e apresenta-te.

Primeiro, esclarece as tuas dúvidas com outras pessoas, em vez de recorreres directamente ao Google;

Depois, procura compreender os sentimentos e opiniões das outras pessoas. Lança um tema, por mais genérico que pareça. Dá espaço para falarem sobre si, aquilo em que acreditam e o que valorizam.

Por fim, apresenta-te (“Olá, o meu nome é…”). Gosto de deixar isto para o fim, permitindo adaptar a minha apresentação às preferências do interlocutor, conjugadas com as minhas. Sucesso em dobro!

Existem mais dicas de comunicação interpessoal. Por vezes pode até ser benéfico fazer um curso nessa área. E agora perguntais-me: “Mas eu, que nasci assim, obra-prima assinada, e aceito-me como sou, vou agora ter trabalho a mudar uma coisa que me vai causar ansiedade ao enfrentar por alma de quem?”. Ao que respondo com o final deste post:

Por que devemos ultrapassar isto?

Por que devemos ultrapassar isto?

      • Nunca se sabe quem pode ser a próxima pessoa a mudar a tua vida. Não percas a oportunidade de a conhecer;
      • Sentir-te-ás mais confortável em espaços públicos, e contigo isoladamente – sucesso a dobrar!
      • Podes até ser tu o próximo agente de mudança da vida de uma ou várias pessoas, de uma só vez;
      • É através de falarmos uns com os outros que chegamos a novas conclusões, e que evoluímos – não queiras ficar extinto, como os dinossauros. Por falar nisso ( na evolução mútua, não nos dinossauros), para saberes mais sobre gerir emoções, espreita o post da BB!
      • De certeza que me estou a olvidar de outras razões. Se te deparares com alguma, diz-me!

Conclusão

Conclusão

Na verdade é tudo uma questão de enquadramento mental. Todos passamos por esta situação, e depois de a ultrapassar, até nos rimos do valor que demos a coisas tão insignificantes. Se quiseres investir mais no desenvolvimento das relações que crias, segue os próximos posts do nosso Rui, começando pelo primeiro de uma tríade bem jeitosa.

E claro, never forgetti:

Stay Clipped

Gostas quando partilham os teus posts?

Que coincidência, nós também! Partilha! 🙂

Emoções: Como lidar?

Emoções: Como lidar?

Wuuuuus good! Sou eu, a BB

Quem nunca teve aquele colega de trabalho chato, uma mãe a insistir para fazeres a cama a cada 2 minutos, ou uns vizinhos tão barulhentos que só dá vontade de lhes tocar à porta, deixar lá um saco de cocó a arder, e depois fugir?

O que esperar deste artigo:

  • Perceber o conceito de inteligência emocional;
  • Conhecer o papel do factor “emoções” nas relações;
  • Entender a importância de conhecer e saber lidar com as emoções;

Junta-te a esta comunidade!

Follows

Well, confesso que estou familiarizada com estas situações, e estes até são exemplos bem leves, comparando com alguns dos problemas que a vida por vezes nos trás. Mas também existem muitas vezes em que só uma pequena coisinha nos faz sair do corpo e voltar!

Libertam-se tantas emoções desmedidas, que quando estamos de volta ao nosso corpo só desejamos encontrar um buraco para nos enfiar. Muitas destas vezes acabamos por atingir outras pessoas e até estragar algumas relações… Será que podemos evitar isto? E se podemos, como o fazemos sem nos tornar-nos apáticos e indiferentes a tudo que nos possa afetar?

Tantas emoções... por onde começar?

Tantas emoções... por onde começar?

Para começar, nem oito nem oitenta. Grande parte do segredo no controlo das emoções é o equilíbrio: nem a mais, nem a menos, e, apesar de algumas vezes parecer que não sentimos nada, presumo que sejam mais as vezes em que sentimos tanta coisa ao mesmo tempo que nem sabemos para que lado gritar primeiro.

Mas nada temas! Talvez as dicas que se seguem possam ajudar a nossa alma a não deixar o nosso corpo com tanta facilidade. Falo, mais especificamente, sobre como manter a nossa sh*it together em momentos difíceis, especialmente quando temos pessoas de quem gostamos à nossa volta.

Conhece as tuas emoções

Conhece as tuas emoções

Todos nós já reagimos a algo menos bom por impulso, dizemos o que na verdade não queríamos dizer, ficamos até um pouco descontrolados e nem ouvimos bem metade do que por nós foi dito.

O mais recorrente nestas situações é a outra pessoa nos chamar a atenção acerca das nossas atitudes, e nós nem sempre temos isso em consideração, mas devíamos! E porque? Porque enquanto seres humanos dotados de racionalidade, somos capazes de fazer uma auto-avaliação, estando conscientes (maioritariamente) do que fazemos bem ou mal, e, mesmo que isto pareça difícil quando se trata de uma emoção DAQUELAS, é importante que a conheçamos e que avaliemos a intensidade com que a vamos expressar, tendo em conta a nossa envolvente. Na prática trata-se deste pequeno exercício:

  1. *sentir emoção forte a emergir*
  2. *fazer pausa e respirar fundo*
  3. *rapidamente encontrar uma forma mais agradável de expressar*
  4. *expressar*.

Isto vai sem dúvida evitar algumas discussões ou conversas menos agradáveis. Um plus para as nossas relações!

Lida com as emoções

Lida com as emoções

Bem… que remédio temos depois de sentir uma emoção forte, senão lidar com ela? Isto é importante: reconhecer a emoção, saber controlá-la, mas nunca a suprimir, pois isso apenas contribuiria para encher um “saquinho” de emoções, que mais cedo ou mais tarde iria começar a deitar por fora, ou pior, rebentar! And we don’t want that, do we? Portanto, o segredo é dar a importância necessária a cada emoção na altura em que ela surge, de modo a que nenhuma delas se apodere da nossa vida e nos roube o nosso bem-estar ou arruíne algumas das nossas relações.

Reconhece as emoções dos outros

Reconhece as emoções dos outros

Para além de aprendermos a conhecer as nossas emoções e de lidar com elas, grande parte da nossa vida é também lidar com as emoções dos outros, pois, algumas das vezes, os papeis invertem-se e somos também nós a “voz da razão” quando alguém está exageradamente exaltado.

Mas algo ainda mais importante é compreender a outra pessoa em situações difíceis (mesmo quando é também difícil para nós), perceber os seus sentimentos, e pensar em como podemos ser úteis, em como podemos ajudar esse alguém a sentir-se melhor.

Por exemplo, o teu pai teve um mau dia de trabalho e chega a casa a reclamar com tudo o que vê à frente. Ok, a culpa não é tua, mas isso não significa que tenhas de lhe gritar isso de volta! Algo que podes fazer é (não esquecer o respirar fundo) mudar o assunto, falar de algo agradável, ir pondo a mesa para o jantar ao mesmo tempo e realçar o facto de este estar delicioso! Não custa nada e faz imediatamente a diferença!

Lida com as relações

Lida com as relações

Ora bem, é aqui que todas as dicas acima se juntam, ou seja, se conseguires seguir estes conselhos, serás com certeza capaz de te relacionar com os outros a um nível muito mais gratificante (descobre mais sobre como criar boas relações aqui), criando uma empatia que se mostrará recíproca, potencializada pela tua capacidade de lidares com as emoções de quem te rodeia.

Estas capacidades dão-te ainda a oportunidade para despertares emoções positivas nos outros, seja por lhes mostrares a tua personalidade, pela motivação e inspiração que transmites, ou pela forma como deixas qualquer um à vontade ao pé de ti!

E então? Conheces alguém assim? Com quem sentes uma ligação quase automática? I know I do. E o que eu tento fazer?

I try to Stay clipped!

Gostas quando partilham os teus posts?

Que coincidência, nós também! Partilha! 🙂

5 formas para ganhar motivação num dia menos bom!

5 formas para ganhar motivação num dia menos bom!

Hallo, pessoal!! Eu sou a Rita, e vou partilhar convosco 5 mecanismos que uso no meu dia-a-dia para manter a motivação em alta! É muito fácil acordar com os pés fora da cama, ou sair de casa e ver logo aquela nuvem cinzenta a cobrir o nosso espírito. É por isso que é importantíssimo encontrarmos mecanismos para dar a volta a esses dias!

Manter a motivação elevada não só é meio caminho andado para o sucesso que procuramos alcançar, como é também o melhor meio de ser feliz e saudável ao longo deste percurso para conquistar os nossos sonhos!!

O que esperar deste artigo:

  • Compreender a importância de ter um dia positivo;
  • Alguns mecanismos simples de motivação;
  • Uma dose de energia contagiante que te vai fazer sentir como um super-herói capaz de tudo!;

Tempo estimado de leitura

  • 7mins

Junta-te a esta comunidade!

Follows

Motivação em tempos de crise

Motivação em tempos de crise

Acho que é uma daquelas verdades universais, são raras as pessoas que sabem lidar com as segundas-feiras, não é verdade? Parece que uma pessoa simplesmente não nasceu com a capacidade inata de se mentalizar que o fim de semana acabou, e ficamos em modo de negação existencial. Felizmente o café não é o único elixir de motivação e energia nesta vida!

Todos temos as nossas razões que nos levam a inscrever naquele curso, a aceitar aquele trabalho e enfim, a fazer tudo o que fazemos na vida. Essas razões são a mais poderosa fonte de motivação que possuímos!! Ao perguntar o porquê do que estamos a fazer, estamos precisamente a relembrar o que nos motiva, a força que temos para lidar e ultrapassar todos os obstáculos possíveis e imaginários que faz com que tudo valha a pena!!

Mas face às pequenas (grandes!) batalhas que enfrentamos no dia a dia, é fácil sentir que perdemos o foco nessa meta, ou que esta simplesmente não é suficiente… é por isso que é tão importante ter alguns truques na manga, para casos de emergência!

As dicas que partilho convosco, procuro usá-las todos os dias da semana. Elas ajudam-me a pintar o céu mais azul e espero que vos motivem também!!

Reduzir o discurso negativo

Reduzir o discurso negativo

Experimenta reduzir o palavreado negativo, para efeitos psicológicos. Um bom exemplo é o título deste post, não é um dia mau, é menos bom! Lembra-te também que o dia só acaba à meia noite, o que significa também que há sempre oportunidade de ocorrer um acontecimento de dimensoẽs astronómicas que altere o teu estado de espírito!! Mantém a fé e deixa-te surpreender!!

O uso de palavras de cariz positivo também permite treinar o teu cérebro para as vantagens da felicidade, no sentido em que respondendo a um estímulo que te deixaria em baixo com mensagens positivas vai motivar o teu comportamento para a felicidade. Isto significa que o teu cérebro vai ter uma melhor resposta, mais criativa, mais produtiva, melhor adaptada ao problema, do que se estivesse sob stress!!

Ter atitudes e discursos positivos não só vai fazer a diferença na forma como te sentes, mas também nas energias que transmites aos que te rodeiam. Isto é ou não é absolutamente espetacular??

Algo tão simples e tão pequenino como uma mudança de vocabulário e comportamento tem a capacidade de mudar o teu dia e o das pessoas com quem o partilhas!! Isto significa melhores relações com os teus amigos e colegas de trabalho, bem como um ambiente mais saudável com uma energia contagiante!! Os poderes da motivação não conhecem limites!

Ouvir música, cantar, dançar!

Ouvir música, cantar, dançar!

Aproveita toda e qualquer oportunidade para ouvir música e/ou cantar. Atenção que, se não cantares com entusiasmo não é a mesma coisa… o ideal é quando há caretas e gesticulações envolvidas! A música permite-nos escapar por breves momentos para outra dimensão e, até mesmo, transportar outra dimensão até nós!! Percebes o que eu quero dizer? Quando recrias aqueles momentos do estilo do teu filme musical preferido ou do Glee e, de repente, a tua vida é como um filme (e é tão bom!!!).

Nunca neges ao teu corpo a sua necessidade básica de expressão face à música que te faz vibrar, ou seja, aproveita e dança como se ninguém estivesse a ver. A música tem o poder (1) de alterar a forma como percepcionamos o mundo e o nosso mindset. Através dela conseguimos sentir e expressar melhor os nossos sentimentos e até mesmo alterá-los.

Por exemplo, mesmo quando nos sentimos tristes, se de repente ouvimos a nossa música preferida ou uma música com uma energia descomunal, vamos sentir a motivação para sair daquele estado de espírito, embalados pela música. Conclusão, podemos usar a música como um mecanismo para manter o nosso dia positivo e a motivação em níveis astronômicos!!

Mens sana in corpore sano

Mens sana in corpore sano

Muitas vezes os níveis de hidratação e açúcar estão em baixo, é essencial manter esses valores em alta porque dão energia ao teu corpo! Compreendo que pode soar estranho, mas acredita em mim, beber muita água durante o dia e ceder à tentação daquele chocolatinho que te apeteceu a manhã toda (vá, um cafézinho ou chá com açúcar) podem fazer a diferença!

Se o teu corpo se sentir bem é meio caminho andado para a tua mente se sentir motivada. Sei o que estão a pensar… a maior parte do comum mortal tem uma memória de peixinho no que toca a beber água, hehe.

    • Felizmente nesta era da comunicação e tecnologia o que não falta são dicas, alarmes no telemóvel e até mesmo aplicações para lembrar uma pessoa de que é tempo de hidratar (2) o sistema!! Pode ser desde substituir o café por chá (que mantém o intuito da cafeína e junta uma bela dose de hidratação) até o mais simples, que é  arranjar uma garrafa para uso pessoal.
    • Independentemente do tamanho, uma vez adquirida uma garrafa só precisamos de criar objectivos, por exemplo: “tenho de beber tudo durante o período da manhã” ou “tenho de encher a garrafa com água três vezes por dia”. Basicamente é criar uma rotina que sintam que resulta bem convosco;

Respirar fundo

Respirar fundo

Permite-te tirar breves momentos de pausa. As pausas não só são importantíssimas para processar a informação/ situação com que estás a lidar, como também para o teu cérebro descansar e consequentemente procurar melhores respostas sem todos os estímulos externos.

Ou seja é uma forma imparcial e não condicionada de brainstorming (por isso é que, muitas vezes, as melhores ideias que temos ocorrem quando não estamos preocupados com o assunto em questão!)

É interessante perceber como o funcionamento do cérebro (3) nos proporciona mecanismos de motivação que permitem melhorar a nossa produtividade! O cérebro é como qualquer outro órgão, tem necessidades e não convém sobreaquecer a maquinaria se queremos um funcionamento eficiente.

Quando trabalhamos demasiado e/ou sob stress o corpo entra em modo sobrevivência: todas as nossas forças e energias se focam em manter o organismo em funcionamento básico , o que não é propriamente compatível com toda a energia necessária para o processo criativo requerido em contexto de trabalho.. Conclusão? É fundamental fazer pausas em nome do sucesso e da eficiência e eficácia do nosso trabalho!

Usa também essa pausa para te (re)lembrares das razões que te motivaram a sair da cama. Respira fundo, retoma ao modo zen e liberta o mestre do kung fu que há em ti! Manda todas as preocupações, sobre as quais não tens controlo, pela saída de emergência e foca-te nas tuas capacidades! Acredita em ti, tu consegues!!

Larga uma alta gargalhada!

Larga uma alta gargalhada!

Proporciona a ti próprio formas de largar uma boa gargalhada. De preferência uma daquelas gargalhadas que dura dois minutos, provoca falta de ar e dor de burro! É engraçado o contraste entre a falta de ar num momento e o boost de energia no outro, não é? Se tiveres uma equipa ou um grupo de amigos com quem possas partilhar essa gargalhada, vai saber-te pela vida. Senão, um minuto de gatos a fazer disparates num vídeo do Youtube também serve perfeitamente para o efeito!

Sabias que o sorriso tem o mesmo efeito que as palavras positivas no nosso cérebro? Os músculos da tua cara, quando esboçam um sorriso, transmitem ao teu cérebro a mensagem de que estás feliz (e queima calorias, quem poderia querer mais?!?!)!!

Os benefícios do humor não se reservam exclusivamente para ti, mas também para todos com quem partilhas esse humor! Ou seja, se conseguires largar gargalhadas nas pausas e fazer do local de trabalho um sítio onde o bom humor prevalece sobre as forças do mal, estás novamente a fazer do teu trabalho um lugar estimulante e criativo, com bom ambiente: tudo isto factores que só podem resultar em produtividade, sucesso e felicidade!! Realmente uma pessoa com a motivação certa é equivalente a um super-herói, não concordam?

Conclusão

Conclusão

Portanto, resumidamente, sejam mais positivos no vosso discurso, cantem e dancem como se ninguém estivesse a ver, interpretem os sinais do vosso corpo (ele diz-vos quando precisa dum boost), respirem fundo e sorriam muito! Às vezes as coisas mais simples (das quais raramente nos lembramos) são as que fazem a maior diferença no nosso dia.

Com a motivação certa não há limites ou obstáculos para conquistar as metas a que nos propomos. É muito uma questão de nunca desistir, procurar novos meios de contornar os nossos problemas e conservar o nosso nível de entusiasmo ao máximo!!

E melhor ainda, ao nos deixarmos contagiar por estas energias, estamos a passá-las às pessoas à nossa volta! E se experimentarmos todos, não só salvar o nosso dia com estas dicas, mas também salvar o dia de outra pessoa?!

Fontes:

 (1) The Neuroscience of Music, Mindset, and Motivation by Christopher Bergland

 (2) 7 Nutritionist-Approved Tricks To Drink More Water Every Day

 (3) Artigo The Guardian – Struggling to be productive at work? Take a neuroscientist’s advice.

Gostas quando partilham os teus posts?

Que coincidência, nós também! Partilha! 🙂

Pin It on Pinterest